terça-feira, 10 de agosto de 2010

Eu desisto

Pois é. Não aconteceu a audiência pública durante a qual a Câmara Municipal pretendia levar um pouco de luz à escuridão que permeia a Secretaria Municipal mais importante de Marabá.
Ao invés de pessoas que pudessem dizer o que, de fato, acontece na Secretaria de Educação, apenas um ofício chegou às mãos dos vereadores pedindo mais tempo para prepararem a documentação.
Mais tempo! Além de brincar com a paciência e com o dinheiro do contribuinte e do trabalhador, os manda-chuva da Semed desrespeitaram o Regimento Interno da Câmara Municipal, numa clara demonstração de que têm as costas quentes.
Pior de tudo é ouvir o discurso dos vereadores, dizendo-se preocupados com toda essa situação e saber que a maioria deles está apenas falando o que o povo quer ouvir, porque na hora da prática, nossa Câmara Municipal tem feito muito pouco em favor da população, salvo raras exceções que servem apenas para confirmar a regra.
Enquanto isso, "dança o povo negro, dança o povo índio, sobre as rosas mortas de aipim".

3 comentários:

Anônimo disse...

Já estou cansado de ouvir tantas asneiras sobre os chamados "irmãos" q o Maurino contratou. Ele não contratou só "irmãos", mas um monte de católico tb, inclusive pra inaugurar o bloco do hospital municipal, chamou um padre pra rezar (se tivesse chamado um pastor seria um "Deus nos acuda"). Por que a zombaria é só contra os chamados "irmãos"?

quem pode citar o nome de algum crente q é secretário municipal? além da joelma, q está lá por competência e é concursada.

Crente tb tem qualificação, crente tb faz curso universitário, crente não é um besta qualquer como muitos pensam, uma gentinha q só arruma emprego qdo o prefeito se diz crente.

Outra coisa, o cara se diz crente e vcs acham q todo crente é como ele. Companheiros, vcs esquecem das máximas: o joio está no meio do trigo, o lobo no meio das ovelhas. Ele não engana ninguém no meio evangélico.

No meio da equipe dele há muita gente q sabe e comenta q os chamados crentes não votaram nele, diziam até q os próprios irmãos de igreja não votaram nele.

chagasfilhodemaraba disse...

Ao meu amigo anônimo:
Muito bm. rsrsrs
Gostei.

Ulisses Silva disse...

Meu caro Chagas, isso é Marabá, isso é Pará, isso é Brasil.
A Constituição garante independência funcional aos três poderes: executivo, legislativo e judiciário. Mas infelizmente, nossos legisladores (falo de quase todos, pois há sim exceções) não fazem por onde merecer tal independência. Ou seja, o legislativa anda sempre atrelado ao executivo. Prova disso é a prestação de contas. Há um Tribunal de Contas dos Municípios justamente para dar suporte e aparato técnico quanto à prestação de contas do município. Mas alguém aí duvida que mesmo que o TCM rejeite as contas a Câmara de Vereadores não irá aprovar as contas? E alguém pode dizer, como pode isso? Isso mesmo, isso pode e é o mais comum em nosso país. Porque os vereadores tem autonomia para aprovar as contas mesmo contrariando parecer do Tribunal de Contas. Então o que acontece, o Prefeito faz aquela maracutaia e os vereadores (que não precisa ser todos, basta 2/3) aprovam. Fazendo uma análise sobre Marabá, não vejo a possibilidade do TCM aprovar as contas de Marabá neste ano. Mas duvido que, mesmo o TCM rejeitando, se os vereadores (os da base, é claro) não aprovarão as contas? Nossos vereadores não estão com toda essa moral para cobrar do Prefeito o que eles não fazem por onde, ou seja, respeito.